Seguro Desemprego Pode Ser Privatizado

Não é de hoje que o Governo Federal vem falando que os benefícios trabalhistas custam caro para os cofres públicos. E a última novidade sobre o assunto é que o seguro desemprego pode ser privatizado.

Seguro Desemprego

Na verdade, essa proposta foi sinalizada peça Superintendência de Seguros Privados (Susep), para o Congresso. Quem deu a ideia foi a atual superintendente da entidade, Solange Vieira.

Segundo ela essa mudança poderia desonerar o Estado. Ela afirma que atualmente o Governo não está conseguindo prestar o serviço de forma eficiente.

O sistema está sobrecarregado, e a privatização do seguro desemprego e até mesmo de outros benefícios poderia dar mais fôlego para o estado, e ainda trazer mais qualidade de serviço para os contribuintes que necessitarem do benefício.

Seguro desemprego não é o único na mira da privatização

Além do seguro desemprego, a privatização também pode ganhar outro “coringa na mão. Uma iniciativa do atual presidente, Jair Bolsonaro (PSL), que fazer a desestatização do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), ou seja, tornar ela privada.



 

Essa é uma empresa pública de tecnologia que provavelmente a maioria dos brasileiros nunca ouviu falar, mas que é de extrema importância. Ela é composta por mais quatro mil sistemas de informação que guardam milhões de informações de brasileiros.

Entre os sistemas que a Serpro possui está o Cadastro de Pessoas Físicas (CPFs) bem como o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJs). Além disso, a empresa também gerencia dados relacionados a declarações de imposto de renda e até mesmo sobre cadastro de veículos.

Apenas em 2018, a Serpro teve um lucro líquido de quase R$ 460 milhões.

Essa empresa gigante foi incluída no último mês em uma lista que o presidente Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, criaram para indicar uma possível privatização. O objetivo seria leiloar as atuais estatais.

O anúncio foi feito gerando muita polêmica. Segundo especialistas, a demanda da Serpro por investimentos é muito grande, e nenhuma empresa privada vai querer fazer um aporte financeiro tão grande.

Além disso, os especialistas apontam que uma empresa privada no comando iria focar apenas no lucro. Já enquanto estatal, o empreendimento tem uma visão mais social.

Quem também está na mira de Bolsonaro quando o assunto é privatização é o Dataprev. A Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev) é responsável por armazenar nada menos que os dados de 35 milhões de beneficiários do INSS.



O anúncio tem gerado muito debate. A Dataprev ainda não se pronunciou sobre uma possível privatização. Já a Serpro afirmou que não irá se pronunciar, uma vez que essa é uma decisão que cabe ao Ministério da Economia.

A maior preocupação em relação ao assunto é sobre o fato de os dados ficarem nas mãos de empresas privadas. Muitos especialistas acreditam que essas informações possam ser usadas de forma maliciosa, ou que não sejam protegidos de forma eficaz.

Qual a sua opinião sobre uma possível privatização do seguro desemprego? Você acha que isso pode melhorar o estado atual do benefício?

Deixe uma resposta

Fechar Menu