Liberação do FGTS Deve Movimentar Economia do Brasil

Liberação do FGTS Deve Movimentar Economia do Brasil

Desde que o Governo Federal anunciou a Liberação do FGTS, muitos brasileiros ficaram na expectativa. Isso porque esse dinheiro pode ajudar muita gente a se livrar de dívidas e até mesmo a investir.

fgts

Segundo o Instituto Fiscal Independente (IFI), órgão ligado ao Senado, essa nova medida deve ter um forte impacto na economia nacional, tanto para 2019 como para 2020.  Com o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) liberado, estima-se que além de estimular a economia, ele também ajude as famílias a aumentarem o seu poder de compra.

A tendência é que boa parte do dinheiro sacado seja gasto imediatamente. Mas, também existem muitos brasileiros que deverão usar os recursos posteriormente. Por isso, o IFI estima que até setembro do ano que vem seja possível ver reflexos dessa medida.



O FGTS é um direito garantido aos trabalhadores registrados em carteira. Contudo, esse fundo só pode ser sacado em algumas situações específicas, como a aposentadora, demissão sem justa causa e compra da casa própria.

Ao todo, R$ 42 bilhões devem ser sacados com a liberação do FGTS, segundo o Ministério da Economia. Com isso, o Produto Interno Bruto (PIB) de 2019 seria de 0,26 ponto percentual. Já em 2020 ele seria de 0,59 ponto percentual.

Isso iria totalizar um crescimento de 0,85 ponto percentual no PIB dos próximos dois anos. Além disso, o consumo médio das famílias brasileiras também deve aumentar. A estimativa é de 0,38 ponto percentual em 2019 e 0,87 em 2020.

Como será a liberação do FGTS?

A liberação do FGTS começará em setembro, e acontecerá por lotes, conforme a data de nascimento do contribuinte. Serão dois modelos de saque.

O primeiro que é específico para esse momento, irá liberar até R$ 500 por conta ativa ou inativa. Ou seja, se o trabalhador tiver três contas, poderá sacar até R$ 500 de cada uma.

A segunda modalidade será a de saque aniversário. Nela, o contribuinte poderá sacar uma parcela do fundo de garantia todos os anos. O valor irá depender diretamente do saldo do fundo.

Quanto maior for o saldo, menor será a porcentagem que o trabalhador irá sacar.

Além disso, o contribuinte que optar por essa modalidade, não terá direito a sacar o FGTS em caso de demissão por justa causa. Mas, fontes próximas a equipe de planejamento dessa medida afirmam que caso o trabalhador se arrependa de aderir a essa modalidade, poderá voltar atrás.

Quem for correntista da Caixa Econômica Federal terá o valor da liberação do FGTS depositado automaticamente em conta. Já os demais trabalhadores que não possuem uma conta no banco, precisarão comparecer até uma agência bancária para sacar os valores. Os contribuintes também poderão optar por não sacar o valor liberado.

Se você tiver alguma dúvida sobre a liberação do FGTS, o ideal é entrar em contato com a Caixa Econômica Federal pelo telefone 0800 726 0101, que é da Central de Atendimento. Se preferir, também é possível ir diretamente em uma das agências bancárias da rede.

Deixe uma resposta

Fechar Menu